Um escritor não nasce da noite para o dia. É necessário prática e dedicação.
  Muitas pessoas querem escrever um livro, mas nem sequer sabe o básico de português. Não precisa ser um gênio das palavras, nem saber todos os adjetivos do mundo, não saber de nada, no entanto, não irá a ajudá-lo a construir um livro bom. Também não se deixe levar pela empolgação, não siga "modinhas", faça você mesmo sua história, uma simples ideia bem desenvolvida pode dar um belo livro, desde que seja original.
  Todo escritor é antes de tudo um bom leitor.Ele ama as palavras e as conhece, e assim se torna fácil escrever, o que eu quero dizer é: se você está fazendo isso para ter fama, ou seja lá qual for sua motivação, que não seja amor, é bem provável que não dê em nada, se você não gosta de ler, de palavras, se você não se envolve, você não vai conseguir escrever um livro de sucesso (sucesso é diferente de fama).
    Escreva o que você ama. Não adianta tentar escrever aquilo que você não sabe, fica superficial e qualquer leitor vai notar. Seja real, use suas próprias experiências, aprenda a colocar as suas emoções no papel, você vai ver que muitas pessoas se identificarão com você.
    Outra dica muito importante que vou deixar bem em destaque: Não se compare com outros escritores, você nunca será como eles. Isso não para deixá-lo triste ou desmotivá-lo, muito pelo contrário. Isso me incomodava muito ao escrever, sempre estava ruim ou inadequado, "aquele autor" sempre parecia melhor, isso me impedia de avançar para os próximos capítulos. Aprenda algo: O jeito que  você escreve revela a sua personalidade, é sua assinatura. Por mais parecida que seja sua narração de determinado autor, não é igual e não vai ficar. Goste disso.
    Perfeccionismo é bom, a não ser quando ela te paralisa. Não hesite em apagar, essa é parte boa do perfeccionismo, ela te mostra quando realmente está ruim, e te faz apagar e acredite você vai ter que fazer isso muitas vezes, mas isso só vai melhorar sua história e narração. A parte ruim do perfeccionismo é quando ela te faz achar que nada está bom, quando na verdade pode estar. Então cuidado com seu perfeccionismo.
         Por último, mas não menos importante, faça sempre o esqueleto de sua trama. O inicio, o meio, o fim. Organize tudinho, os capítulos, as cenas importantes... A medida que você for escrevendo é possível que esse esqueleto se altere, mas ele vai te guiar para que não faça uma história sem pé nem cabeça. Por isso é bom sempre ter um caderninho por perto, as melhores idéias surgem em momentos e lugares inusitados.
        Esperam que tenham gostado e ...

    Arthur Ignatius Conan Doyle, é o nome completo do célebre escritor que deu vida ao detetive mais intrigante da história: Sherlock Holmes. Pessoalmente, é um dos autores que mais admiro, não apenas por sua fama, mas pela história limpa, narração impecável, e pela emoção que consegue passar através de suas palavras, o drama, a adrenalina, o mistério.
    Nascido em Edimburgo, Escócia, em 22 de maio de 1859, Conan Doyle formou-se em Medicina e foi depois de se formar, quando montou seu escritório de Medicina que começou a escrever histórias de detetives.
  Em 1887, foi publicado "Um estudo em vermelho", a primeira história, na qual Holmes e seu companheiro, Watson aparecem. Em 1883, o autor, 'matou' Holmes numa luta com o rival o professor James Moriarty, mas pressionado pelo público, teve que traze-lo de volta em "O cão dos Bakservilles".
 Além das 60 histórias que fez do detetive, Doyle, escreveu de Ficção Científica a Romance.
Sir Arthur Conan Doyle, morreu em 7 de julho de 1930, em Crowborough, Inglaterra.
   Recentemente

Curiosidade

Sir Arthur Conan Doyle participou da Guerra de Boer, trabalhando como cirurgião. Sua atuação foi recompensada em 9 de agosto de 1902, quando recebeu o titulo de cavaleiro. (Sempre quis saber isso *-*)