Ir ao cinema pode se tornar um verdadeiro terror. Não preciso dizer muito mais... Tem dias que a gente está cansado de tudo, da facul, do trabalho, e simplesmente quer descansar, aí a gente pensa: "Vou pegar um cineminha só pra curtir" Nem precisa ser um filme genial, pode ser aquele meio "sem-graça" mesmo, cheio de clichês, só um filme para passar o tempo. Aí quando a gente já está acomodado na nossa poltrona com a pipoquinha, e achando que vai curtir demais o filme... Tudo acontece.
  Reuni aqui, algumas coisinhas que me dão vontade de gritar e que simplesmente ninguém precisa fazer no cinema.

     1- Você não precisa deixar o celular ligado.Quem nunca leu ou ouviu aquela mensagem na telona "mantenha os celulares desligados"? Bem é exatamente essa mensagem que alguns despercebidos tem deixado passar e ela seria totalmente desnecessária neste post se realmente esses "alguns" aprendessem desligar os tais celulares. Por que é simplesmente inacreditável como esses aparelhinhos tocam de repente bem no momento crítico do filme em que nós estamos quase sem fôlego ou prestes a desmoronar em lágrimas. E quando achamos que o indivíduo irá rejeitar a ligação é exatamente aí que começamos a ouvir a historia de sua vida e ao fim da sessão saímos sabendo que o carinha logo atrás tem uma mãe chamada Maria, um pai chamado João e  uma tendencia para atrapalhar as atividades alheias. E o filme? Bem... acho que teremos de comprar mais ingressos.
  2-  Você não precisa falar a sessão inteira. Fique calado! É legal interagir, gritar e gargalhar com todo mundo. O que eu estou querendo falar é daquele grupinho isolado que só aparece para fazer alvoroço desnecessário. Eu detesto isso! E claro que tem aqueles casos típicos de "Sofredores" que tomam a dor do personagem e ficam gritando: "Não entra nessa corredor... Não!" e " Ela vai morrer... Saí daí, sua besta!" Pessoal, eles não vão te ouvir, mas acredite nós vamos! E ainda temos o tipo "paizão" que fica sussurrando o tempo todo atrás de você explicando o filme para o filho que não está entendendo nada.
  3- Você não precisa contar a história do filme!Isso é tão comum que chega a ser engraçado, mas muito irritante! Já notou que SEMPRE tem alguém por perto para estragar a surpresa? Por favor não façam isso! Chamo isto de "dar uma de esperto". Geralmente quando o filme é baseado em livro, eu já sei a história e sei o que vai acontecer, e sei que muito compulsivos por livros também sabem, mas gente não precisa spoilear o filme inteiro! Tipo: "É agora que ele vai....". Não preciso nem falar que nos filmes de Harry Potter era o que mais eu ouvia, e o pior é quando os comentários estavam errados, admito essas foram as únicas vezes em que pensei em me intrometer numa conversa. Isso me leva ao próximo ponto.
   4- Você não precisa incomodar os outros. Fique na sua. Vez ou outra isso volta a acontecer comigo. Seja amigo, parente, conhecido e desconhecido, eles insistem em perguntar, qualquer tipo de pergunta e o mais importante durante a sessão inteira! "Por que ele fez isso?"; "Quem é ele?" e "Ah, entendi, quer dizer que...". Uma dica: Assista ao filme e você vai descobrir!
  5- Você não precisa dormir. Nada contra aqueles que dormem, são os únicos que me deixam assistir o filme. Apenas acho extremamente intrigante essa situação, afinal qual sentido em dormir no cinema? Sério, você paga o ingresso, pipoca ou seja lá o quê mais para assistir ao filme, mas ao invés disso você dorme? Sem sentido. Mas porque dormir no cinema me irrita? Porque simplesmente eu não preciso escutar um ronco ensurdecedor durante o filme todo! Eu sei o que é estar cansado, mas o cinema não é lugar para dormir (admito que é tentador), mas se fosse assim, haveriam camas não cadeiras!

   Então, lá se foi o dia perfeito e tranquilo!
   Em resumo: Se você ver alguma vez entrar no cinema e ver um "paizão" pelos corredores, um grupo de adolescentes que não param de falar e um celular que não para de tocar, não entre nessa sessão!

 Andrew Ulisses, o escritor parceiro aqui do blog, está envolvido em mais um evento: O Projeto Europa, da LITERARTE.

 Para quem não conhece a LITERARTE é uma Associação Internacional de escritores e artistas que foi fundada em 10 de julho de 2010, mas começou suas atividades propriamente dita em outubro deste mesmo ano. Trata-se de uma entidade cultural de tempo indeterminado, com foro jurídico na cidade de Cabo Frio, com sede na Avenida Nilo Peçanha, nº 160 – Loja 106, no município de Cabo Frio, estado do Rio de janeiro. Sem fins lucrativos, tem por objetivo principal associar, unir, promover e divulgar, a nível nacional e internacional, escritores e artistas plásticos, residentes ou não no Brasil.
 Já que um dos objetivos da LITERART é criar possibilidades para que seus associados possam divulgar suas criaçãos sem barreiras geográficas, no mês de outubro a LITERARTE vai levar uma caravana de  escritores e artistas plásticos para várias atividades na Alemanha, República Tcheca e Áustria para a Europa.

AS ETAPAS DO PROJETO EUROPA:



Etapa 1- de 09 a 13 de outubro –  FEIRA DO LIVRO DE FRANKFURT – Estande Literarte - ALEMANHA
 
Etapa 2 – de 14 a 17 de outubro – PRAGA - REPÚBLICA CHECA 
Visita à Embaixada do Brasil para doação de livros 
Visita ao Instituto Camões para doação dos livros 
 
Etapa 3 – de 18 a 20 de outubro – VIENA - ÁUSTRIA
“Projeto Saberes Criativos" ABRASA  – Feira de Exposição Intercultural de Literatura, Arte e Educação Áustria 2013” 
Lançamento do Catálogo Artístico Literarte –  Castelo Colbenz 
Cerimônia de entrega do Troféu “Prêmio Diamonds of arts and education" - Castelo Colbens

Muito legal, não? O Andrews ainda faz parte do Catálogo e foi indicado para receber o Troféu! 
Para quem não viu o post da sobre o Andrews Ulisses e o seu livro, A Ilha de Kansnubra, pode conferir aqui. Em breve resenha do livro!
 Na torcida por ele, e muito feliz com essa nova geração de escritores nacionais! Eles realmente tem me feito mudar de opinião e perder aquele preconceito sobre os livros brasileiros.
Espero que tenham gostado, até mais!


  Fiquei muito feliz essa a semana por que como deu para notar o blog consegui firmar muitas parcerias que nem esperava. Eu já tinha mandado um e-mail para o autor, mas só ontem ele realmente confirmou a parceria e como já tinha publicado as outras, não deu para incluí-lo, então estou fazendo o post para falar  um pouco mais do autor do livro A Presa, a dádiva da escuridão, Marco de Moraes.



       E aí vamos conhecer ele?

 Sobre o autor  



Marco Moraes nasceu em 1983 no Rio de Janeiro.É bacharel em Turismo e tem MBA em gestão empresarial. Escritor e poeta, é um observador da vida, retratando o que ela tem de melhor e pior por meio de um narrativa detalhista que conduz o leitor por um universo sombrio repleto de surpresas. Presas, a dádiva da escuridão é o seu primeiro livro publicado.



A obra

 

Estas são lembranças de um andarilho que teve de recomeçar sua jornada quando se vê em um sombrio e nebuloso pântano , rodeado de cadáveres humanos. Perdido e amedrontado por não lembrar-se sequer do próprio nome, percorre florestas e estradas em busca de sobrevivência e acaba entrando em contato com um povo de um humilde condado. Além de percorrer suas vagas recordações e tentar entender a magia que o atraí tanto àquele lugar, ele ainda deverá enfrentar  os filhos da noite, as sanguinárias criaturas que insistem em persegui-lo.
   Neste cenário perturbador e atraente, as horas parecem dias, criando uma mistura de pesadelo e realidade; e os limites entre luz e escuridão se perdem a cada dia em meio a névoa, fazendo com que essas criaturas dominem e perdurem na escuridão.

Book Trailer




E aí  o que vocês acharam? Tenso, não é? Já dei uma olhada em algumas resenhas por aí, e gostei muito dos comentários, a narração é maravilhosa, bem poética. Só para terem uma ideia do que eu estou falando, olha esse trecho:

"A perda da memória num tempo desmedido fez de mim um andarilho obediente a uma sina, um amanhã que me impelia a seguir por caminhos perante a escuridão tão densa que tomou o lugar do dia à força, As tenebrosas manhãs eram de tal intensidade que a dúvida habitante em mim tomava forma assustadora, ludibriando meu jeito de pensar." (p. 11)

  Para os que ficaram interessados na obra, podem conhecer mais dela no Site oficial e no Facebook. E estão à venda nos da Saraiva e da Travessa.
   Bem já viram não é, que em breve uma resenha do livro por aqui, também estamos planejando uma entrevista com o autor, então fiquem na espera!  
  Essa semana foi muito corrida por aqui, por isso só deu para postar as parcerias, mas semana que vem já temos uns post super legais para vocês! 
  Milhões de beijos, meu amores!


  Como prometido um post falando sobre Andrews Ulisses, o novo autor parceiro aqui do blog. Estamos radiantes, é sério saímos contando para todo mundo da família! (kkkkk). Ele foi o primeiro autor que aceitou parceria com o My Little Wonderland, e o livro dele tem tudo para ser um dos meu preferidos, não estou puxando saco, não, é porque os livros de capa bonita, como já falei, me atraem muito! E aí vamos conhecer?

 Quem é?



 Andrews Ulisses nasceu em 1995, em Sorocaba, e atualmente reside na pequena cidade de Votorantim, São Paulo, junto com seus pais, avô e a irmã. Desde pequeno desenvolveu o gosto por livros de ficção. Aos dez anos começou a criar histórias em quadrinhos e aos dezesseis decidiu ser escritor. Estudante de engenharia na Universidade de Sorocaba, é um cinéfilo, e gamer que aprecia viajar para conhecer novas culturas e costumes. A Ilha de Kansnubra e o portal perdido é seu livro de estreia.




A obra 


A Ilha de Kansnubra 
e o Portal Perdido




Garley é um tímido estudante de dezesseis anos que encontra um misterioso medalhão de ouro e é transportado a uma ilha chamada Kansnubra. Localizado no enigmático Triângulo das Bermudas, este fantástico lugar é palco de mago, bruxas e dragões. Para encontrar o portal perdido e retornar a sua vida normal, Garley deverá criar coragem e cumprir uma missão. Com a ajuda de Aldrich, Johnny, Laura, Jorge e Alix, eles partem em direção ao Monte Tylan, mas monstruosas criaturas e poderosos inimigos cruzam o caminho dos jovens. Será que Garley conseguirá enfrentar seus medos e alcançar o objetivo?


 


  E aí, deu ou não deu água na boca? Super ansiosa para começar a leitura!
  Você podem conferir mais sobre a obra, no site oficial, no facebook e na página do Skoob. Ou se quiser comprar, pode encontrar em diversas livrarias, e também no site da editora Novo Século.
Skoob/ Site Oficial/Novo Século/Facebook

 Ainda não está convencido? Então você pode ler o primeiro capítulo aqui.
 obs.: Espere alguns segundinhos para abrir, depois é só clicar na imagem.



E aí, gostaram? Espero que sim. Em breve com a resenha.


  Como o próprio nome já diz acabamos de fechar mais duas parcerias!  O primeiro é com o blog A Culpa é dos Leitores (super criativo o nome né?)um blog que está ainda no comecinho, então quem puder fazer uma visitinha lá tenho certeza de que a Taty e Bi vai amar recebê-los lá. Vamos dar essa forcinha gente! O blog já está com uns posts super legais que merecem um conferida. 
segunda parceria que conseguimos foi com o autor - o primeiro aqui do blog - Andrew Ulisses. Ele o autor do livro A Ilha de Kansnubra, que estou louca para ler! Mas como tem muita coisa legal, vou fazer um outro post contando tudo sobre o autor e a obra.
 Enfim estou muito feliz com as duas parcerias! E sei que eles só vão ter a acrescentar aqui ao My Little Wonderland!










  Oi! Passando rapidinho aqui para responder uma tag super legal! Fui indicada pela nossa parceira Val, do blog  Lendo, Imaginando, Vendo e Descobrindo. Vamos a TAG!

As regrinhas

1. Completar as frases
2. Repassar 6 pessoas e avisá-las
3. Ao completar as frases, você pode optar por manter as mesmas ou inventar outras.

As frases

  • Sou muito...  tímida.
  • Não suporto... falsidade.
  • Eu nunca... comi sushi.
  • Eu já... fiz um curta metragem em espanhol (ficou horrível e nunca será divulgado! rsrsrs).
  • Quando criança... fazia peças de teatro na garagem de casa (micooooo....!).
  • Nesse exato momento... quero muito comer chocolate!
  • Eu morro de medo... de falar em público.
  • Eu sempre gostei de... ler!
  • Se eu pudesse... leria o dia inteiro.
  • Fico feliz quando... compro livro. 
  • Se eu pudesse voltar no tempo... usaria todo dinhero gasto inutilmente para comprar mais livros.
  • Adoro... cheiro de livros.
  • Quero muito... ir fazer uma curso de aperfeiçoamento em ballet na Broadway.
  • Eu preciso... de mais estantes, urgentemente!
  • Não gosto... de novela (não me julguem)

Blog Indicados


É isso gente, espero que tenha gostado,
Beijos e até a próxima!


Sinopse: Neste fascinante thriller, Dan Brown retoma a mistura magistral de história, arte, códigos e símbolos que o consagrou em "O Código da Vinci", "Anjos e Demônios" e o "Símbolo Perdido" e faz de Inferno sua aposta mais alta até o momento. No coração da Itália, Robert Langdon, o professor de Simbologia de Harvard, é arrastado para um mundo angustiante centrado nas obras literárias mais duradouras e misteriosas da história: O Inferno, de Dante Alighieri. Numa corrida contra o tempo, ele luta contra uma adversário assustador e enfrenta um enigma engenhoso que o leva para uma clássica paisagem de arte, passagens secretas e ciência futurística. Tendo como pano de fundo poema de Dante, e mergulha numa caçada frenética para encontrar respostas e decidir em quem confiar, antes que o mundo que conhecemos seja destruído.
obs.: Pode conter spoilers.

   Dan Brown não erra. Com o mesmo ritmo, mistério e lógica geniais, de outros de seus sucessos, Inferno não decepciona.  É claro que quem vai com muita sede ao pote, pode não achar tão bom, mas cá entre nós Dan Brown consegue te prender na história de uma forma inexplicável.  Não é segredo que Dan Brown divide opiniões, alguns amam, outros o detestam veemente, mas prefiro me manter neutra, embora ame o estilo de escrita dele, não o considero “mestre da literatura”, como muitos por aí.
  A história de Inferno, gira em torno da obra de Dante Alighieri, A divina comédia, mas especificamente a primeira parte deste poema épico, o Inferno.  Ao contrário de seus outros livros este não se trata de conspiração de organizações secretas de tempos atrás, mas de algo mais moderno e diferente do que o título sugere, esse livro é o que menos o cristianismo é bombardeado abertamente.
 Durante todo o livro o encanto é inevitável, é como andar pelas ruas italianas e pelos museus e obras de arte. Pallazzo Vecchio, Palacio Pitti, corredor Vasari, Duomo de Florença... Dá até vontade de viajar pra Itália!

  Busca e encontrarás.
   
O livro começa com um sonho, nele uma senhora de cabelos prateados repete essa frase. E é só isso que Robert Langdon, famoso simbologista e professor de Harvard, lembra ao se acordar em um hospital em Florença, a milhares de quilômetros de casa e  sem qualquer vestígio de memória das últimas 36 horas. Antes que pudesse descobrir qualquer coisa de útil, Langdon sofre uma tentativa de assassinato no hospital, a partir daí começa sua busca desesperada por informações.
  Por que ele está em Florença? Por que estão tentando mata-lo?
  Com a ajuda da dra. Sienna Brooks, Langdon consegue escapar do hospital, fugindo da maluca de cabelos espetados que quer matá-lo. Ao chegar ao singelo apartamento de Sienna, o simbologista enquanto tenta se recuperar do ocorrido e relembrar o que aconteceu, acaba descobrindo que a médica é dona de uma mente genial e o que ao chegar ao hospital ele carregava escondido em suas roupas um objeto misterioso. Mas que objeto misterioso era aquele que carregava escondido em seu Harris Tweed? Ele não lembrava.
Ao vasculhar o objeto, Langdon descobre que ele projeta uma imagem: O Mapa do Inferno, de Botticelli, “...um tributo a uma obra literária do século XIV que havia se tornado um dos mais célebres da história... uma visão notoriamente macabra do Inferno cuja influência se fazia sentir até hoje. O Inferno, de Dante.”
Mas o que será que o Divina Comédia, de Dante tinha haver com ele estar em Florença sendo perseguido? Por que ele carregava este objeto?
  O mistério que estava em suas mãos era maior do que ele imaginava e se não resolvido poderia culminar com uma catástrofe a nível mundial.
   Ao avançar na história, somos apresentados a vários personagens que estão diretamente ou indiretamente ligados ao mistério. Descobrimos sobre a organização que persegue o professor e ficamos muito confusos com as cenas do já morto Dr. Bertrand Zobrist, um cara aparente louco e sem noção que pretende acabar com boa parte da humanidade, defendendo suas teorias de superpopulação e transhumanismo. E quando tudo aparentemente está resolvido... “A” reviravolta.
    Para quem já conhece Dan Brown, dá para notar claramente que ele segue a mesma receita de sucesso dos outros livros, deixando até algumas partes com cara de clichê, mas que em nada diminui o grande livro que Inferno é. Decerto com polêmicas (como não poderia deixar de ser), com suspense a todo o momento, símbolos e mensagens secretas, esse não chega a bater “O código da Vinci” nem “Anjos e Demônios”, mas com certeza não é um livro de se jogar fora, que vale a pena ler e que sem dúvida nenhuma , surpreende. Para todos os interessados em uma viagem literária pela Itália e pelo mundo da Divina Comédia, convido-os a apreciarem este obra.

  Muito bom.