Prezados amigos(as), como vão?

Vamos conversar hoje sobre Jurassic Park 4.



Ele esta de volta.

Mas, antes de falar do novo filme, vamos relembrar os três primeiros?

Uma coisa sobre a franquia Jurassic Park que eu não sabia é que foi baseado em um livro escrito por Michael Crichton. Bem legal, né? Agora fiquei com vontade de ler o livro.

Bom, não quero perder tempo falando dos antigos, porém, para relembra-los, como eu disse logo acima, eu vou expor as sinopses dos três primeiros e dar a minha impressão sobre o quarto filme que em breve estará nos cinemas.

Jurassic Park, o filme – 1993

Sinopse:
Um parque construído por um milionário (Richard Attenborough) tem como habitantes dinossauros diversos, extintos a sessenta e cinco milhões de anos. Isto é possível por ter sido encontrado um inseto fossilizado, que tinha sugado sangue destes dinossauros, de onde pôde-se isolar o DNA, o código químico da vida, e, a partir deste ponto, recriá-los em laboratório. Mas, o que parecia ser um sonho se torna um pesadelo, quando a experiência sai do controle de seus criadores.

Jurassic Park - 1997

Sinopse:
Quatro anos após o fechamento do empreendimento da Ilha de Nublar, o Jurassic Park, um inigualável parque onde vários tipos de dinossauros deveriam conviver de forma pacífica, o magnata (Richard Attenborough) responsável pelo projeto descobre que no "sítio B", local onde os dinossauros foram criados, ainda restava algumas espécies vivas. Visto isso, resolve enviar uma equipe para verificar as condições de montar um novo parque, sem cometer os erros antigos e, para isso, convoca um dos seus antigos cientístas (Jeff Goldblum) que condenou o parque. Mas, como sabia que ele recusaria sua oferta, envia antes sua namorada (Julianne Moore), também pesquisadora, que estava empolgada pela idéia de poder de provar sua teoria sobre alguns dinossauros. O cientista, sem opção, resolve salvar sua namorada e segue para a ilha, mas coincidentemente um outro grupo comandado pelo sobrinho do magnata chega região, com o intuito de capturar os animais. No entanto nada sai como o planejado e os dois grupos perdem seus equipamentos de comunicação, mas a situação fica realmente crítica quando os animais começam a reagir contra a presença humana. Assim, o terror logo se espalha e ambos os grupos passam a lutar por suas vidas.

Jurassic Park III - 2001

Sinopse:
Apesar de ter ficado abalado com seu último encontro com dinossauros vivos, o Dr. Alan Grant (Sam Neill) continua dedicando sua vida a estudá-los e desenvolve uma teoria sobre o desenvolvimento da inteligência dos velociraptors. Desesperado em busca de fundos para dar prosseguimento à sua pesquisa, ele aceita a oferta de Paul (William H. Macy) e Amanda Kirby (Téa Leoni), dois milionários que desejam fazer uma excursão aérea na Ilha Sorna e que querem contratá-lo para acompanhá-los. Porém, durante a viagem o Dr. Alan Grant descobre a verdadeira intenção dos Kirby, que é descer até a Ilha Sorna para procurar seu filho, que desapareceu no local em uma expedição ocorrida 8 semanas antes. Apesar da oposição de Grant, eles pousam na ilha e acabam sendo atacados por uma nova espécie de dinossauro, maior e mais feroz que o tiranossauro rex.

Só para constar, os filmes foram todos dirigidos pelo Steven Spielberg, a partir daí você, que ainda não assistiu a esses filmes, já tem uma noção da qualidade dos filmes.

Agora, vamos falar do Jurassic Park IV.


 Diferentemente dos três primeiros, esse filme não terá a regência do mestre Steven Spielberg (ele apenas será o produtor). O filme será dirigido por Colin Trevorrow, que já dirigiu um filme o Sem Segurança Nenhuma (eu nunca tinha ouvido falar).
Essa informação me deixou preocupado, um filme com o tamanho do Jurassic Park deveria ter um diretor a altura.

No elenco:

Chris Pratt (Guardiões da Galáxia)
 Bryce Dallas Howard (Homem Aranha 3)
Ty Simpkins e Nick Robinson
Irffan Khan (As Aventuras de Pi),
Vincent D’Onofrio (MIB).


Quanto ao filme em si, pelo que eu vi pelo trailer, pelo que eu li e pesquisei, tem grandes chances de ser mais um campeão de bilheteria.

Agora, o parque será aberto ao público. Os dinossauros estão domesticados, mas, alguma coisa vai dar errado.

Eu aposto nesse filme pelo que eu vi. As sequências foram boas e, apesar dessa nova aventura no parque jurássico não ser dirigida pelo mestre Spielberg, ela tem tudo para levar milhões ao cinema.

Assista o trailer.

Vamos ver a sinopse:

O Jurassic Park, localizado na ilha Nublar, enfim está aberto ao público. Com isso, as pessoas podem conferir shows acrobáticos com dinossauros e até mesmo fazer passeios bem perto deles, já que agora estão domesticados. Entretanto, a equipe chefiada pela doutora Claire (Bryce Dallas Howard) passa a fazer experiências genéticas com estes seres, de forma a criar novas espécies. Uma delas logo adquire inteligência bem mais alta, logo se tornando uma grande ameaça para a existência humana. 

Bom, por enquanto é só pessoal.

Beijos e abraços.






BTOOOM! 
Autor:  Junya Inoue
Editora: JBC
Classificação etária: 18 anos















Btooom! é um jogo on-line de PC, onde jogadores de todo o mundo formam equipes e duelam entre si até todos os integrantes de uma das equipes, formadas por 8 integrantes, morrerem. Como armas, usam apenas bombas, de diferentes tipos e efeitos, chamadas Bins. Algumas são de tempo, outras de contato, voadoras, etc.


Ryota Sakamoto tem 22 anos e é um dos melhores jogadores. Tanto, que a empresa responsável pela criação e produção de Btooom! o seleciona para ser uma das pessoas que ficam testando o jogo à procura de defeitos. A única coisa que recebe em troca disso, é a promessa de que no futuro a empresa o irá contratar. Enquanto espera, Ryota passa os dias conectado no jogo.

A mãe de Ryota não aguenta mais vê-lo sem trabalhar, preso no computador, em um jogo que ela acha idiota e não compreende. Os dois não se entendem e vivem brigando. Até o dia em que Ryota acorda pendurado em uma árvore por um paraquedas. Quando se liberta, descobre que está em uma ilha tropical com uma mochila cheia de bombas. Confuso, sem conseguir se lembrar de como chegou naquele lugar, ele logo é atacado por um homem que também possui bombas. Enquanto se defende, Ryota compreende que as bombas são do mesmo tipo dos bins do jogo Btooom!. Assim, usando a experiência que tem, tenta se defender e convencer seu agressor a conversar e desistir do ataque. Quando toma consciência de que isso não vai acontecer, ele bola um plano e consegue matá-lo.


Vagando pela ilha ele conhece Kiyoshi, um senhor de 51 anos, que também está na ilha. Descobre então que os dois e muitos outros foram sequestrados e levados para aquele lugar com o objetivo de se enfrentaram. A única chance de saírem com vida, é matarem oito jogadores. Também descobrem o motivo de terem sido escolhidos, mas vou deixar em aberto, porque, de certa forma, é uma surpresa.

Essa é a premissa básica de Btooom!, o novo mangá que a JBC começou a publicar há alguns meses. O duelo entre pessoas em uma região isolada não é novidade, pelo contrário. Existem outros mangás, filmes e séries com o mesmo tema, por isso você deve estar se perguntando: por que iria ler? Eu fiz essa mesma pergunta, e confesso que só comprei o primeiro número, porque simpatizei com a capa e com a protagonista feminina, Himiko, que só aparece no final do segundo volume. E não me arrependo, porque existe, sim, um pequeno, mas importante diferencial que me conquistou: o relacionamento entre Ryota e Himiko.

O casal é retratado com uma química e um carinho no relacionamento que é muito bonito. Eles não apenas se sentem atraídos, mas se respeitam de uma forma comovente. E, com o passar da história, fazem sacrifícios para manterem um ao outro vivos, sem se importarem com a própria segurança.

No começo, quando se conhecem, Himiko, devido a um trauma que é explicado aos poucos, não confia e tem medo de Ryota. A forma como o rapaz vai conquistando a confiança dela, e as tiradas que ela dá nele nesse mesmo tempo, são muito engraçadas. A simpatia que se sente pelos dois é quase imediata.


As batalhas e os momentos de tensão, bem com os desenhos, são muito bons e criam bastante expectativa. Por ser um mangá para maiores de 18 anos, irá encontrar vários quadrinhos com corpos mutilados e muito sangue em preto e branco. Qualquer personagem pode morrer, e isso é a única coisa que me deixa apreensivo, porque torço muito para que o casal principal se mantenha vivo.


Btooom! começou a ser publicado no Japão em 2009 e possui 14 volumes compilados. No Brasil, estamos no número 9, mas ainda é possível encontrar os outro 8 nas Comic Shops ou bancas especializadas.


Também existe um anime que começou a ser exibido em 2012 e é bastante fiel ao mangá. A primeira temporada está completa e termina em um dos melhores e mais românticos momentos entre Ryota e Himiko. <3